Desvantagens da subcontratação de armazenagem

No seguimento do nosso artigo anterior acerca das vantagens da subcontratação de armazenagem e das razões que podem levar uma empresa a requisitar este tipo de serviços a empresas externas especializadas na área, vamos agora debruçar-nos acerca das desvantagens da subcontratação de armazenagem e nos principais obstáculos que podem levar uma empresa a não optar por este tipo de serviços.

Sabendo que esta subcontratação está também muitas vezes associada à possibilidade da própria empresa conseguir maior e melhor produtividade global na cadeia logística, o que se torna numa enorme vantagem face aos seus concorrentes, é preciso ter em conta que também acarreta algumas desvantagens que não devem deixar de ser tidas em consideração pela empresa.

Neste artigo vamos então analisar algumas dessas principais desvantagens.

Desvantagens da subcontratação

Existem alguns obstáculos que podem retardar e até mesmo inviabilizar uma estratégia de subcontratação. Enumeramos as principais:

Razões estratégicas

Uma das principais desvantagens e um obstáculo à subcontratação reside no facto de muitas empresas não quererem fazer uso de intermediários, como para o caso da armazenagem, nos seus negócios com os clientes. Muitos gestores consideram que o risco envolvido poderá ser demasiado elevado e temem que possam perder o controle da eficácia e qualidade do serviço prestado por empresas externas. No entanto, este risco pode ser bastante minimizado com uma actuação mais rigorosa ao nível da definição dos instrumentos de controlo a aplicar ao prestador de serviço.

Implicação social

Outro factor que poderá criar uma desvantagem na subcontratação é o facto desta resultar na eliminação de postos de trabalho na empresa, o que poderá ajudar a criar um ambiente de maior desconforto e desmotivação entre os funcionários da mesma. Isto acontece quando o recurso aos serviços de um prestador de serviços se torna bem mais viável em termos económicos do que a própria empresa optar por investir nesta área.

Investimentos anteriores

Um fabricante pode ter realizado investimentos no passado, os quais no final acabaram por ser uma má opção para a empresa. Por outro lado, o envelhecimento e degradação dos seus meios próprios de armazenagem acaba por forçar  a empresa a ter de recorrer a um prestador de serviço externo, que tem maior acesso e dinheiro para investir nas inovações que vão ocorrendo nesta área, logo acabando por fornecer uma melhor qualidade de serviço aos clientes finais.

Falta de transparência do prestador

Muitas vezes as empresas temem que não exista total transparência por parte do prestador de serviços. Esta barreira pode ser atenuada com a criação de uma função de ligação na empresa que organize, controle e negoceie todos os aspectos com o fornecedor, de forma a haver maior transparência entre toda a informação de gestão.

Dependência externa

Por último, entre as principais desvantagens da subcontratação encontra-se também a dependência a serviços externos, que muitas empresas acabam por considerar ser demasiado excessiva. Algumas empresas consideram, inclusive, que a actividade de gestão física de armazéns é demasiado crítica para ser entregue a terceiros, sendo preferível a sua realização directa. No entanto, esta decisão deve ser cuidadosamente avaliada, pois a realização directa pode trazer mais prejuízos para empresa do que propriamente benefícios, o que a longo prazo se poderá tornar numa decisão desastrosa em virtude da não subcontratação.


Deixe a sua resposta