Publicidade digital vs publicidade convencional, mostra que folheto está mais que vivo

Hà mais vida publicitária para além da publicidade digital, mostra um estudo que auscultou consumidores europeus e constatou que orçamentos de marketing não devem incidir só no digital

  • 62% dos consumidores portugueses preferem o folheto publicitário a outras formas de publicidade para receber ofertas de retalho.
  • 42% afirmam poderem poupar com folheto, nomeadamente através de vouchers e cupões.
  • 38% dos inquiridos admitem pesquisar produtos online após verem primeiro contacto através de folheto publicitário.

A ELMA (European Letterbox Marketing Association), associação europeia que agrupa as organizações líderes do setor da distribuição de folhetos publicitários, da qual a Mediapost é a única empresa nacional associada, lança estudo sobre a relevância do folheto publicitário. O estudo ausculta a perceção dos consumidores face ao impacto do folheto publicitário, comparado com outros meios, em termos de consumo de publicidade e experiência de compra.

Os resultados do estudo são claros e contrariam a tendência dos orçamentos de marketing orientados para os canais digitais. Nos 22 mercados europeus que participaram no estudo, o painel de consumidores revela que o folheto publicitário continua a ser um dos meios preferidos para saber mais sobre ofertas de retalho.

Em Portugal, a maioria dos consumidores (62%) prefere o folheto publicitário, seguido da publicidade online (50%) e TV (47%).

As respostas indicam também o folheto publicitário como um meio informativo preferencial em Portugal, sendo que 50% dos consumidores portugueses afirmam ter conhecimento de promoções através de folhetos, sobre os quais de outra forma não teriam conhecimento. Por sua vez, 60% concordam que o folheto publicitário já os levou a considerar produtos que antes não tinham em mente.

Em Portugal, o folheto publicitário foi ainda referido como um meio com o qual os consumidores nacionais estão muito familiarizados. De acordo com o estudo, 73% dos inquiridos recebem folhetos mais do que uma vez por semana e 66% admitem lê-los também mais do que uma vez por semana.

No universo europeu, 55% dos consumidores europeus afirmam ter uma atitude positiva perante os folhetos publicitários, enquanto 84% confirmam utilizá-los efetivamente e 50% dizem guardá-los para futura utilização.

O folheto é também indicado como um meio com influência na experiência de compra em Portugal. O estudo revela que 42% dos consumidores portugueses consideram que podem poupar com o folheto publicitário, nomeadamente através de vouchers e cupões.

No que diz respeito à integração entre a comunicação offline e online, 38% dos inquiridos relatam já ter visto um artigo num folheto e, consequentemente, ter ido pesquisar mais sobre o produto online. Em média, 89% dos consumidores europeus que pesquisa online sobre os produtos depois de vê-los num folheto fá-lo através de pesquisas diretas nos motores de pesquisa, em vez de utilizar possíveis URL ou QR Codes impressos, o que dificulta a medição da integração online/offline das marcas.

Num momento em que a tendência da aposta de marketing se centra nos canais digitais, com especial destaque para o mobile e redes sociais, este estudo vem relembrar que os consumidores valorizam este meio e que o investimento das marcas deve continuar a contemplar uma vertente convencional, com especial enfoque para os folhetos publicitários.

O estudo sobre o folheto publicitário foi realizado pela empresa de estudos independente Toluna, para a associação europeia ELMA, da qual a Mediapost é a única empresa portuguesa do setor associada.


Deixe a sua resposta