Estruturar um processo de recrutamento

Um bom processo de recrutamento é fundamental se quiser adquirir novos empregados para a empresa e obter o máximo de produtividade da sua parte.

Quando uma pessoa é recusada, é pelo bem da empresa e nada mais. O seu perfil tem de ser o mais adequado possível e não vale a pena levar a peito as rejeições, encare antes o lado profissional da situação.

Processo de recrutamento

  • Primeiro que tudo, deve criar uma ficha de inscrição e publicá-la algures na web ou mesmo distribuí-la à mão num dado estabelecimento, juntamente com um anúncio acerca da procura de colaboradores.
  • De seguida, após algumas inscrições, é altura de analisar os currículos.  Deste modo os empregadores saberão de imediato a quem chamar para uma entrevista, pois alguns não são claramente apropriados para a vaga.
  • Segue-se a dita entrevista, em que o empregador procura saber mais sobre o candidato, perguntando-lhe acerca das suas habilitações, experiência profissional, qualidades, defeitos e, acima de tudo, a razão por que o deve contratar. Muitas vezes são mesmo feitas mais do que uma entrevista, só para se ter a certeza das qualidades do candidato.
  •                 Em certas alturas testam-se os candidatos com testes de conhecimento muito específicos, para uma uma melhor apreciação dos conhecimentos legítimos e habilidades do entrevistado.
  •                 O entrevistador pode mesmo projetar uma simulação do futuro da empresa com o candidato lá colocado, tendo em conta conhecimentos gerais, apresentações, demonstrações, entre outros.
  • Não é incomum ver análises e testes psicológicos aplicados por um profissional da área de psicologia. Estes testes ajudam a complementar a decisão e aprovação do candidato. Os teste mais conhecidos são: projecção do inconsciente, lógica e análise, grafologia, personalidade e atenção concentrada.
  • Após todos estes testes, chega a altura de tomar uma decisão em relação ao candidato, e cada empresa poderá usar o seu próprio método, quer por meio de pontuação, uma mesa julgadora, ou até mesmo pela decisão final do departamento de recursos humanos. Uma decisão que acarreta bastante responsabilidade, pois a empresa é que será influenciada no final.
  •  Seguindo a fase de tomada de decisão, cabe ao entrevistador informar o candidato o resultado final.  Além de respeito com o candidato, a empresa poderá, através do feedback, ajudar o candidato não aprovado a repensar sua participação num novo processo seletivo e na carreira em geral. Em relação ao candidato aprovado,  este deverá ser informado  e congratulado pela aprovação, e encaminhado ao sector de departamento pessoal para os procedimentos legais de admissão. A parti desse ponto, o novato entra na fase de integração.
  •  A fase de integração é aquela pelo qual o novo colaborador, depois de devidamente admitido segundo a legislação vigente, é orientado e assessorado pelos RH da empresa no processo de adaptação ao novo cargo e empresa.

E são estes os passos para estruturar um processo de recrutamento. Ainda mais exaustivo que para o entrevistador, é para o candidato, pois passa pela experiência stressante de ter de convencer a todo o custo de que realmente vale tanto quanto diz. Contudo, o entrevistador também não tem a tarefa facilitada; um passo em falso e a empresa é que paga pelos seus erros.


Deixe a sua resposta