É mais importante chegar primeiro ou aprender com a concorrência?

Para um simples e comum empreendedor dos dias de hoje, a decisão de lançar uma nova ideia de negócio ou de realmente alterar o atual acaba por ser um drama muito forte e poderoso. E é nestas alturas que o pânico e a incerteza vão começar a ser os sentimentos dominantes.

Quem possui uma série de ideias inovadoras certamente não quer ser o segundo a chegar à meta, no entanto, também vai-se arriscar a entrar num terreno lamacento onde nunca ninguém chegou a participar. Ao contrário do que muitas pessoas pensam, a inovação sozinha não vai garantir o sucesso.

Por outro lado, não é novidade para ninguém que também existem as empresas que pretendem mudar o seu rumo. Existe ainda uma grande quantidade de gestores que pensa da seguinte forma: ‘’se está tudo a correr perfeitamente, não vou mudar nada’’ no entanto, este pensamento está completamente desatualizado e errado, pois quem pensa assim arrisca-se acordar um dia e estar completamente atrás da concorrência. É realmente por essa razão, que o mundo dos negócios está em constante crescimento atualmente.

 

 

Segundo vários estudos realizados por especialistas deste ramo, a inovação é uma verdadeira saída para uma grande quantidade de pequenas e médias empresas, só através da inovação é que se consegue superar algumas dificuldades e começar realmente a desenvolver um processo de crescimento económico.

A maior parte dos obstáculos com que os empreendedores se embatem durante o desenvolvimento da sua ideia podem ser externos ou internos. Os externos são de uma forma geral os primeiros a minar o caminho das empresas.

Veja alguns casos:

– Obstáculos Externos: a burocracia, os impostos, a dificuldade em conseguir obter financiamentos, as políticas governamentais que têm todas as capacidades para verdadeiramente prejudicar as PME;

– Obstáculos Internos: a não ponderação do que se encontra em jogo, a falta de recursos necessários para o desenvolvimento da ideia, a falta de conhecimento e a criação de necessidades que acabam por não ser necessárias ou nem existir.

Resumidamente, avançar ou não para um novo negócio ou para uma determinada mudança vai depender diretamente dos seguintes aspetos:

  • do contexto na qual a empresa encontra-se oficialmente inserida;
  • da situação na qual vive o setor visado;
  • da capacidade do empreendedor para conseguir tomar decisões.

Não haja a mínima dúvida que esta é uma daquelas decisões que não podem ser tomadas de ânimo leve, e por essa mesma razão, a missão principal do empreendedor vai ser realmente reunir uma grande e diversa quantidade de ideias e opiniões de todos aqueles que o rodeiam e que encontram-se envolvidos no projeto em questão.


Deixe a sua resposta