Como selecionar e negociar com os transportadores

Quando se procede a mudanças numa empresa é importante saber como selecionar e negociar com as empresas de transporte.

A análise do custo de transporte é um dos aspetos fundamentais do processo de seleção de um transportador, ou seja, o custo dos serviços que presta. Neste caso, a empresa que pretende contratar um transporte externo deverá analisar os custos de transporte, por forma a estar mais hábil a negociar os preços e condição de prestação desses mesmos serviços.

Isto pode ser muito valioso, caso a empresa venha a decidir realizar o transporte por conta própria, acabando por ter um termo de comparação para eficiência interna na realização de todo o processo.

Selecionar o transportador adequado

Selecionar e negociar com os transportadores é um processo que envolve negociações quanto às condições relativas aos serviços prestados. Na altura de escolher os transportadores,para além dos custos e condições da prestação de serviços de cada um, deverá levar também em conta um ponto muito importante que poderá influenciar na decisão final, o número de operações.

Neste caso, é necessário identificar-se claramente as operações atribuídas aos transportadores escolhidos. Muitas das vezes esses transportadores já executam funções que vão além de transporte, acabando por definir-se como operador logístico. Aconselhamos assim que se defina desde logo a real função do transportador, pois hoje em dia a cadeia de transporte pode articular uma multiplicidade de operações como as de transporte (entre fábricas), auxiliares de transporte (trânsito), comerciais (assistência e serviço pós-venda) e de gestão.

O progressivo movimento de subcontratação das operações logísticas, inclusive, de armazenagem e transporte surge como resposta à preocupação das empresas quanto à maior produtividade global da cadeia logística.

De facto, a preocupação de concentração no negócio principal das empresas tem contribuído para que cada vez mais funções sejam subcontratadas. Esta realidade vem reforçar a importância de uma escolha devida dos parceiros logísticos, da negociação dos termos que se aplicam à prestação do serviço e das formas de comunicação subjacentes a esta relação de carácter continuado.

Custos fixos e variáveis

Selecionar e negociar com os transportadores implica a análise dos custos fixos, mas também dos custos variáveis. Há que calcular os custos de combustível (diferenças entre tipos de veículos, custos por km), os custos de pneus (tipo de veículo em causa), bem como os custos de manutenção e reparação.

No final, deverá ser feita uma estimativa final de custos. Tendo em conta os diferentes tipos de custos é possível chegar a uma estimativa para cada tipo de veículo e tráfego, considerando diversos pressupostos adicionais.

Para selecionar e negociar com os transportadores é preciso não esquecer as velocidades médias de serviço consoante se trate de cargas regionais ou nacionais, os tempos médios de carga e descarga, o total de dias produtivos anuais, bem como os custos fixos para os horários dos dias produtivos. Estes pressupostos poderão ser utilizados para o apuramento dos custos totais por unidade de tempo, por km percorrido ou por tonelada.


Deixe a sua resposta