Como lidar com um funcionário em quem não confia

Como gestor de uma empresa é bastante provável que algum dia você terá que lidar com um funcionário em quem não confia plenamente. Esta pode ser uma situação que o irá colocar numa posição bastante desconfortável, mas que deve ser tratada da forma mais eficaz possível.

Se um funcionário em quem a empresa não pode confiar continua a possuir a liberdade para ter o mesmo tipo de comportamento indesejado, a organização pode acabar por sofrer consequências negativas diretamente resultantes das práticas erradas desse mesmo funcionário. Uma má abordagem deste tipo de problemas pode, inclusive, levar a processos judiciais contra a empresa. Além disso, muitas vezes é muito mais rentável  para empresa levar a cabo algum tipo de ação corretiva, do que simplesmente descartar e substituir o funcionário em questão.

Analise individualmente cada problema

Determine quais a razões que o levam a sentir que determinado funcionário não é merecedor da sua confiança. Por exemplo, se você tem conhecimento de que o funcionário quebrou alguma lei ou que de forma consistente não se mostra interessado em aderir e respeitar as políticas da organização, você pode já ter motivos de sobra para a demissão imediata. Contudo, um empregado que faz uma pausa de almoço mais longa do que devia, ou que não consegue atingir regularmente os objectivos propostos pode simplesmente necessitar de um controlo mais rigoroso por parte do seu gerente ou supervisor.

Documente comportamentos

Torna-se fundamental que proceda à documentação de todos os comportamentos que possam qualificar-se como razão determinante para o despedimento, se a sua intenção é, eventualmente, demitir o empregado em quem não confia. Exemplos de situações que devem ser documentadas incluem reclamações de colegas de trabalho e  de clientes, cartas de repreensão e avaliações de desempenho. Desta forma, caso o comportamento indesejado chegue a um ponto em que o único caminho é a rescisão, será vital que você seja capaz de provar o motivo de demissão com os fatos que foi documentando ao longo da atividade laboral do funcionário.

Disponibilize formação adicional

A menos que o empregado tenha cometido um delito que exige demissão imediata, é essencial proporcionar-lhe a oportunidade de corrigir o seu comportamento indesejado. Em alguns casos, um funcionário que aparentemente parece ser pouco confiável pode simplesmente não possuir as competências necessárias para realizar as suas tarefas adequadamente. Por exemplo, um empregado que consistentemente falha em completar uma tarefa específica, ou que regularmente executa a tarefa incorretamente, pode apenas precisar de mais formação na área em que opera.

Aconselhe o funcionário

Siga as orientações, políticas e modos de procedimento da empresa para o aconselhar um empregado sobre o seu comportamento impróprio, que necessita de ser alterado. Use esta fase de aconselhamento como uma oportunidade para esclarecer as suas expectativas e garantir que a percepção do funcionário sobre o que se espera dele está de acordo com estas.

Rescisão

Infelizmente, às vezes é necessário demitir um empregado que constantemente exibe comportamentos indignos de confiança e se mostra muito relutante à mudança. Neste casos o único caminho será seguir as políticas específicas e procedimentos em vigor na empresa para demitir o funcionário.


Deixe a sua resposta