Como gerir a saída de um empregado

 

 

A demissão de um empregado é sempre uma notícia triste para a empresa, sobretudo quando se trata de um funcionário que já trabalha nesta faz vários anos. Contudo, é bom respeitar os seus motivos, pois podem ser bem fortes e válidos, e vale a pena escutá-los com atenção.

                Afinal de contas, porque o empregado sai sequer da empresa? É culpa do chefe? É culpa dos colegas? Talvez as condições do local de trabalho? É isto que tem de verificar logo de início e talvez até tentar dar a volta à situação a bem. Sempre que alguém sai da empresa, verifica-se uma difícil tarefa de o substituir, e ninguém gosta de passar por este tipo de fase.

Seguem-se algumas orientações de como gerir a saída de um empregado.

    Avaliar os motivos           

Se nada correr bem e mesmo assim o empregado estiver determinado em realmente sair, deve recorrer a estes 9 passos:

1)      Converse com o funcionário, tentando compreender a razão da sua demissão

2)      Elabore um questionário de saída

3)      Saiba a sua opinião acerca da empresa

4)      Tenha cuidado com o surgimento de contrapropostas

5)      Torne a saída do funcionário o mais pacífica possível

6)      Mantenha o contacto com o ex-empregado

7)      Redefina o perfil ideal da pessoa para o cargo

8 )      Decida o que é melhor:  um substituto interno ou externo

9)      Evite novas saídas criando boas condições de trabalho

Questionários de saída

A implementação de um inquérito de saída pode ser uma boa ferramenta de trabalho. Este pode ser preenchido pela própria pessoa ou ser do tipo entrevista. Através da entrevista é possível determinar problemas dentro da sua organização, como a falta de condições de trabalho ou erros e defeitos nas chefias.

Os questionários de saída devem apurar:

·         As razões da saída do empregado da empresa

·         As oportunidades que oferecem ao seu empregado noutra empresa

·         As razões pelas quais não teve essas oportunidades na sua empresa

Como substituir o empregado

A substituição deve ser rápida, mas criteriosa. Em primeiro lugar, observe se existe alguém na empresa que possa ocupar a vaga. Caso não seja possível, coloque em marcha o processo de recrutamento e selecção.

Tanto a solução interna como a externa têm vantagens e inconvenientes. Analisemos agora as devidas vantagens e desvantagens:

Solução interna

Vantagens:

  •  ·         Custo mais baixo
  • ·         Sem encaixe cultural da nova pessoa na organização
  • ·         Oportunidades de carreira aos empregados actuais

Desvantagens:

  •  ·         Morosidade do processo
  • ·         Perdas de eficiência
  • ·         Frustração de expectativas

Solução externa

Vantagens:

  •  ·         Processo mais rápido
  • ·         Sangue novo traz novas ideias e formas de pensar
  • ·         Visibilidade à empresa no mercado de trabalho

Desvantagens:

  •  ·         Mais caro do que o recrutamento interno
  • ·         Choques culturais do candidato com o grupo
  • ·         Frustração a expectativas dos colaboradores

Gerir a saída de um empregado exige alguns cuidados. Acima de tudo, evitar reduções desnecessárias do pessoal, causam sempre enormes problemas. Sempre que possível, deve-se tentar satisfazer os empregados, tornando o ambiente de trabalho num local favorável e acolhedor. Ninguém irá querer que se demitam devido a confusões com os colegas ou a más condições no local de trabalho. Se conseguir que não haja, problemas, a produtividade será assim maior e menor será o número de empregados a abandonar a empresa.


Deixe a sua resposta