Como evitar os sete pecados mortais que levam à estagnação empresarial

empresas que são capazes de estar sempre a criar novos produtos, de conquistar mercados e de continuar a crescer. A solução pode ser mais fácil de alcançar do que à primeira vista pode parecer. A questão está em saber evitar os “sete pecados” mortais que levam à estagnação empresarial.

 

 

O que evitar

Os gestores das empresas devem ter a coragem de perceber quando chega a altura de abandonar, por exemplo, um certo produto que esteja em alta. À partida, esta pode parecer uma atitude anti-natura mas é, de facto, uma solução para quem pensa no futuro.

Um segundo passo a evitar e que pode levar à estagnação empresarial é afastar a ideia de que os mercados estão maduros e que já não têm mais por onde crescer. O que uma empresa tem a fazer é mesmo desfazer o mito de que os mercados estão e são maduros. Há que ter a capacidade para olhar para as pequenas oportunidades e nichos, mesmo que não sejam evidentes. Por outro lado, o acesso à informação e a capacidade para fazer a triagem são fatores decisivos para a perceção do que pode ser aproveitado.

Pode não parecer, mas as pequenas e médias empresas também estão numa boa posição para aproveitarem as novas oportunidades que os mercados oferecem. Apesar de terem uma estrutura mais pequena, também acabam por ser mais flexíveis e arrojadas na procura de novas soluções.

Inovação

Qualquer empresa, para não ceder a nenhum dos sete pecados mortais que conduzirão a uma estagnação empresarial é que deve ter presente a necessidade de inovar. Isto porque as empresas que têm uma visão mais criativa conseguem surpreender o mercado e conquistá-lo. De facto, as melhores empresas já tiveram a capacidade para perceber isto e investido em algo tão importante como o fator mudança.

As empresas também deverão ser capazes de criar hipóteses para reinventarem produtos.

Uma empresa é constituída por um conjunto de colaboradores, distribuídos por diversas funções, uns mais qualificados do que outros. Mas, os empresários deverão ter capacidade para perceber que as novas ideias podem surgir de qualquer um deles, e muitas vezes, de onde menos se espera. É por tudo isto que os líderes de equipas devem demonstrar capacidade para planear e gerir oportunidades e ideias que possam surgir.

Apesar de cada colaborador ter determinadas tendências, também deverá entender que o trabalho também pode significar inovação.

Para combater a estagnação empresarial não deve esquecer que a inovação implica riscos. Os riscos considerados prudentes são necessários quando se fala de inovação e de criação de novos produtos. Todos os gestores experientes sabem medir ambos os pratos da balança e determinar quando a inovação não traz riscos devastadores.

Recursos humanos

O último dos sete pecados mortais que levam à estagnação empresarial a evitar é julgar que não são necessários mais recursos humanos para inovar. Os empresários deverão saber que as iniciativas empresariais implicam a procura de novas oportunidades, independentemente da quantidade de pessoal disponível. Isto porque, quantidade não significa qualidade.


Deixe a sua resposta