Como criar uma rede de franchising

Para criar uma rede de franchising, há que perceber que o franchising moderno é uma forma de fazer negócio em parceria, na qual uma empresa com sucesso comprovado (franchisador) ensina a terceiros a sua fórmula de negócio.

O parceiro (franchisado), é alguém que quer iniciar o seu negócio mas, ao invés de trabalhar sozinho e reinventar um negócio por si só, vai fazê-lo integrado numa rede.

Criar a rede de franchising

Para criar uma rede franchising, o primeiro passo é registar a marca. Em Portugal, é tratado junto do Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI).

Em segundo lugar, deverá definir o conceito do seu negócio e testá-lo. O conceito a franchisar deverá ser objetivo e estar bem identificado. O frnachisador deverá ser capaz de afirmar, sem sombra de dúvidas, qual a fórmula do sucesso do seu negócio. É aqui que o franchisador deverá testar todo o conceito, pelo menos durante um ano, antes de decidir franchisá-lo.

Um terceiro passo que deverá tomar para criar uma rede de franchising é estudar o mercado, pelo que a decisão de franchisar só deverá ser tomada depois de uma exaustiva avaliação do mesmo. Ao se tornar franchisadora, a empresa assume um compromisso de longo prazo com os seus parceiros, logo tem que ter capacidade para garantir que o negócio em que apostou se vai rentabilizar.

Em quarto lugar, o franchisador deverá, sempre e como das funções e principais obrigações, transmitir o know-how. O franchisador tem a obrigação de transmitir ao franchisado como gere o seu negócio. Só assim lhe poderá garantir que, ao seguir as mesmas regras, poderá obter resultados idênticos.

Rentabilidade do negócio

Mas, não bastará ao franchisador transmitir o seu know-how, pois para saber como criar uma rede de franchising, deverá dar provas de rentabilidade do negócio que tem. Há que saber que não se deve tentar angariar um franchisado só com promessas. Tem que se lhe mostrar dados reais, baseados não em projeções, mas em factos.

Precisa rever a estrutura da empresa. De facto, ao avançar para a criação de uma rede de franchising, o franchisador deverá partir inteiramente ciente de que o franchisado é um parceiro e não um empregado. Para tal, vai ter que alterar a sua forma de pensar, de agir e, mesmo, a forma como está estruturada a sua empresa.

Em seguida, o franchisador deverá analisar a viabilidade do seu negócio, analisando a situação inicial da empresa, estabelecer os fatores-chave de franchising, considerar os aspetos operacionais, bem com ao implantação e expansão da rede. Há que estabelecer a fórmula económico-financeira, bem como analisar todos os aspetos jurídicos.

Assim, uma vez terminado o plano de viabilidade, e tendo em conta que terá um resultado positivo, é altura de passar tudo para o papel.

Finalmente, ao criar uma rede de franchising, é tempo de divulgar. Assim, terminada a formatação, há que apostar na divulgação do seu negócio, sendo que não o deverá fazer sem antes definir o perfil dos franchisados e o processo de seleção. Não se esqueça, ainda, de um dossier de imagem e captação de franchisados.


Deixe a sua resposta